marcelo santos

Friday, September 29, 2006

RELATÓRIO DE VISITA À ESCOLA

Visitamos a escola Getúlio Vargas localizada no bairro do Barbalho próximo ao colégio estadual ICEIA. Quem vê a escola externamente tem a impressão de que o espaço físico é pequeno mas engana-se porque do lado interno funciona uma escola que atende aos alunos que estão no fundamental I e II com 17 salas em 3 turnos. Infelizmente chegamos numa hora imprópria pois estava para iniciar uma reunião de pais e mestres e por conta disso , a diretora não pôde nos dar atenção, mas prometeu nos receber em outro dia, de preferência pela manhã.Então pedimos autorização para conhecermos as dependências da escola. Quanto à organização física da sala de aula, podemos dizer que é satisfatória porque são arejadas e possuem boa iluminação onde a disposição das cadeiras são enfileiradas pelos funcionários todos os dias.Notamos que os professores utilizam quadro negro e giz em sala de aula mas de vez em quando utilizam retroprojetor. Procuramos saber se tinha algum professor de Ciência para nos ajudar nas informações.Daí fomos à procura do professor.Pelos corredores encontramos papéis jogados no chão e paredes riscadas apesar dos vários cartazes educativos colados nas paredes. Lamentavelmente ao encontrarmos a professora, fomos recebidos com indiferença, a professora de Ciências alegou que estava aguardando o início da reunião com os pais e nem sequer se interessou pelo projeto. Felizmente uma funcionária chamada Anaildes que trabalha como serviços gerais estava livre no momento e se colocou á disposição para nos ajudar. Foi muito gentil e simpática dentro das suas limitações nos ajudou bastante. Inicialmente nos levou para observarmos o banheiro de um dos corredores que por sinal estava em péssimas condições.A porta não tinha tranca e não havia nenhum sinal de higiene no banheiro.As paredes estavam sujas e riscadas com palavras de baixo escalão.Não tinha lâmpada nem papel higiênico. Pelo menos as torneiras tinham água corrente. Anaildes nos disse que existe quatro banheiros sendo que dois femininos e dois masculinos. Fomos conhecer o laboratório de Ciências que estava fechado .Ficamos sabendo que não estava sendo utilizado pelos professores. Dentro do laboratório tinha muitos materiais excelentes, inclusive um retroprojetor que não funcionava, e estavam empoeirados e a sala necessitando de uma faxina urgente. Próximo a esse laboratório estava a sala de Arquivo Morto que é o local onde são guardados os livros antigos e outros materiais.A escola dispõe de uma sala de recursos visuais que atende aos portadores de deficiência visual elaborando provas em braile.Não existe rampa na escola mas apenas escadas tornando difícil o deslocamento para quem não pode andar e se utilize de cadeiras de rodas. Soubemos que existe quatro alunos portadores de deficiência visual e estudam juntos com os demais alunos. Fomos conhecer a biblioteca que se encontrava fechada por falta de bibliotecário e que somente pela manhã tem uma pessoa que fica na biblioteca provisoriamente. A biblioteca tem 14 mesas com 4 cadeiras e uma Tv grande.Apesar de as estantes estarem arrumadas os livros são ultrapassados e não estão catalogados. Quanto às paredes , estavam precisando de uma pintura pois o mofo já estava tomando conta sem falar nas goteiras devido à infiltração. Enquanto estávamos na biblioteca a professora de geografia chamada Valdirene estava trazendo seus alunos para fazer uma pesquisa sobre o Oriente Médio e aproveitamos para lhes fazer algumas perguntas. Ela foi muito simpática e disse que era formada pela Ufba em Geografia. Ela desenvolve um trabalho diferenciado na escola e disse que a biblioteca estava naquelas condições por falta de uma coordenadoria mais ativa, que tivesse sistematização, mais organização.Ela falou que pelo fato de a diretora ser nova na função ainda não conseguiu colocar as coisas em ordem dependia de outras pessoas para lhe assessorar. Perguntamos se os alunos tem alguma atividade fora de sala. Disse que os alunos já visitaram museus, foram à OAF e também à exposição na feira de São Joaquim.Além disso, outras atividades propostas são Campeonatos, gincanas,épocas de festas, projeto da África, leituras realizadas em grupo. Acrescentou dizendo que uma das professoras de Ciências na verdade é formada em Pedagogia mas ainda assim estava fazendo um bom trabalho nessa área onde pediu orientação inclusive para ela de como desenvolver o trabalho. Quando saímos era hora do intervalo .Uma gritaria total e crianças correndo pelos corredores para pegar a merenda escolar que por sinal nesse dia era biscoito com Nescau quente. Aproveitamos para observar a cozinha onde é servida a merenda.Já estavam preparando o feijão para o dia seguinte pois havia uma panela com mais de trinta quilos de feijão dentro e um detalhe era feijão de qualidade. Quando saímos passamos próximo à quadra de esporte e observamos que ela precisa de reformas principalmente as grades que estão danificadas. Nessa primeira visita à escola aconteceu exatamente o que foi relatado. Mas em um outro dia , um dos componentes do grupo se comprometeu em voltar e procurar a coordenadora pedagógica Marieta Almeida para nos fornecer mais informações.Ela disse que a escola não tem um PPP mas que o centro dos trabalhos da classe é o aluno e que o professor dá oportunidades para que os alunos construam suas próprias normas através de troca de pontos de vista, discussões em grupo e contra-argumentações.Disse também que quando acontece situações de indisciplina na classe o professor geralmente procura conversar com o aluno para resolver o problema, mas em último caso,encaminha à direção da escola.


Visita à escola(2ª parte)

No dia 26 de setembro ,uma terça-feira, a professora Adriane disponibilizou nosso horário de aula para voltarmos à escola e darmos continuidade ao projeto e vermos as possibilidades de sua aplicabilidade. Nesse dia todos os componentes do grupo compareceram pontualmente e estavam envolvidos com o projeto. Mais uma vez não encontramos os professores de Ciências pois era dia de folga deles e também era a semana em que a escola só funcionaria até quarta-feira ou seja o dia seguinte, em virtude das eleições. Procuramos a Vice-diretora e pedimos autorização para fazermos uma faxina no laboratório e ela concordou. Dividimos o grupo da seguinte forma, enquanto uma parte fazia a faxina, uma dupla procuraria os professores para aplicar um questionário e saber se eles gostariam de participar de um treinamento sobre como utilizar e potencializar o laboratório de ciências com direito à certificado.Enquanto isso, outra dupla fazia a catalogação dos matérias que se encontrava no laboratório. Ficamos surpresos com a quantidade de materiais armazenados que poderiam estar sendo utilizados pelos professores com o objetivo de construir o conhecimento junto ao aluno.Inclusive tem um microscópio novinho,ainda na caixa de isopor, que poderia estar sendo de utilidade para a escola.Enquanto estávamos fazendo a faxina no laboratório alguns alunos ficaram curiosos e chegavam próximo à porta e olhavam para dentro e foi chegando mais alunos.Estavam surpresos porque o laboratório permanecia sempre fechado.Não sabiam a razão da nossa visita. Foi aí que uma aluna perguntou qual era a série que poderia utilizar o laboratório e quando soube que todos poderiam utilizar ficou muito feliz. Isso só reforçou mais ainda o nosso projeto de revitalização do laboratório de Ciências.O laboratório ficou com outra aparência depois da faxina.
Próximo passo será a apresentação do esboço do projeto ao nosso coordenador do curso de Ciência Naturais(Prudente) e fazer a solicitação de professores habilitados para realizar a oficina na escola.







.

2 Comments:

Post a Comment

<< Home